Análise de Efésios 2.11-22

v.11-12
→ Os gentios (‘’a incircuncisão’’) experimentaram dois tipos de separação.
A primeira era social, resultando da animosidade que havia existido entre judeus e gentios por milhares de anos. Os judeus consideravam os gentios como excluídos, objetos de escárnio e repreensão.
O segundo e mais significativo tipo de separação era a espiritual, porque os gentios, como um povo, estavam separados de Deus de cinco maneiras diferentes:

1º Eles estavam ‘’sem Cristo’’, o Messias, não tendo um salvador e libertador, e sem propósito ou destino divino.
2º Eles estavam ‘’separados da comunidade de Israel’’. O povo escolhido de Deus, os judeus, era uma nação cujo supremo Rei e Senhor era o próprio Deus, e de cuja bênção exclusiva e proteção eles se beneficiavam.
3º Os gentios eram ‘’estranhos às alianças da promessa’’; não podiam partilhar das alianças divinas de Deus nas quais ele prometeu dar ao seu povo uma terra, um sacerdócio, um povo, uma nação e um rei – e ,para aqueles que cressem nele, a vida eterna.
4º Eles não tinham ‘’esperança’’ porque não haviam recebido nenhuma promessa divina.
5º Eles estavam ‘’sem Deus no mundo’’. Embora os gentios tivessem muitos deuses, não reconheciam o verdadeiro Deus porque não o queriam.

→ Em todo momento, o apóstolo Paulo faz questão de lembrar àqueles irmãos sobre o que eles eram antes de receberem Jesus como Senhor e Salvador, utilizando-se da expressão ‘’noutro tempo’’ ou ‘’naquele tempo’’.
→ A jornada cristã é dividida em duas fases: sem Cristo / com Cristo; velho homem / novo homem; velhos hábitos / novos hábitos ; antiga maneira de viver / nova maneira de viver.
Caso contrário, continuamos sem Cristo.


v.13

ESTÁVEIS LONGE
→ ‘’Longe’’ é um termo comum nos escritos rabínicos usado para descrever os gentios, aqueles que estavam separados do verdadeiro Deus.
→ Esse é o estado natural em que se encontra todo homem que ainda não recebeu a Cristo como Senhor e Salvador; seus corações encontram-se distantes de Deus, insensíveis à voz de Deus.

Pedro então lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para o perdão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo. Porque a promessa é para vós, para vossos filhos e para todos os que estão longe, a quantos o Senhor nosso Deus chamar. (Atos 2.38-39)

APROXIMADOS
→ Todo aquele que confia somente em Cristo para a salvação, seja judeu ou gentio, é levado à união espiritual e intimidade com Deus. Essa é a reconciliação de 2Co 5.18-21. A obra expiatória realizada por meio da morte de Cristo na cruz retirou o castigo do pecado.
E a vós outros, que estáveis mortos pelas vossas transgressões e pela incircuncisão da vossa carne, vos deu vida juntamente com ele, perdoando todos os nosso delitos; tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz. (Colossenses 2.13-14)

→ A imagem presente nos termos ‘’estáveis longe’’ e ‘’fostes aproximados’’ – utilizados pelo apóstolo Paulo – é a de um ambiente familiar. Em Adão, toda a humanidade se rebelou contra Deus – assim como um jovem que se rebela contra seus pais e decide ir embora de casa, afastando-se do seu lar. Mas, em Cristo Jesus, mediante a fé depositada nEle, nós somos reconciliados, voltamos para o nosso verdadeiro lar, somos novamente aproximados de Deus, nosso Pai e reintegrados na família celestial, graças à morte substitutiva de Cristo Jesus na cruz do calvário, onde toda a justiça de Deus foi satisfeita, removendo todos os nossos pecados que nos separavam de Deus, que nos mantinham longe do lar.

V.14

ELE É A NOSSA PAZ
→ Antes de sermos reconciliados com Deus através de Jesus Cristo, vivíamos em constante guerra contra a Sua santa Lei. Ao invés de ser objeto do nosso amor, víamos Deus como nosso inimigo. Rebelávamos contra tudo que estivesse relacionado com Sua santidade.

De igual forma, éramos visto como objetos de Sua ira, pois vivíamos em desobediência à Sua vontade.

→ Através de Jesus Cristo, passamos a amar a Deus sobre todas as coisas, vivendo em plena obediência. Em Jesus Cristo, toda a ira de Deus ,que estava destinada a cada um de nós, foi despejada na cruz do Calvário, removendo toda dívida que tínhamos para com Deus.
→ Por isso Cristo é a nossa paz, pois Ele foi o nosso mediador, levando-nos até Deus, fazendo-nos amigos de Deus, e ao mesmo tempo, cumprindo toda a justiça de Deus.
→ Em Jesus, Deus é glorificado e nós somos justificados.

Portanto, justificados pela fé, temos paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. (Rm 5:1)

A PAREDE DE SEPARAÇÃO

→ Alude à parede do templo que separava a área dos gentios das áreas acessíveis somente aos judeus. Paulo referiu-se a essa parede como um símbolo da separação social, religiosa e espiritual que mantinha os judeus e os gentios separados.

v.15

ABOLIU, NA SUA CARNE, A LEI DOS MANDAMENTOS
→ Por meio de sua morte, Cristo aboliu as leis, as festas e os sacrifícios cerimoniais do AT, que separavam, especificamente, os judeus dos gentios. A lei moral de Deus não foi abolida, mas incluída na nova aliança, pois reflete a sua própria natureza santa.

→ Todos os rituais do AT apontavam para Cristo, eram sombra daquilo que haveria de vir.
A partir na nova aliança, não há mais necessidade de simbolismos, pois o Messias prometido já veio, não é mais necessário representações simbólicas.

Ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa de dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados, os quais são sombras das coisas que haveriam de vir; mas a realidade é Cristo. (Cl 2.16-17)

→ A Lei não era capaz de conceder salvação aos hebreus, servia apenas como um espelho onde seus pecados poderiam ser vistos. Mas este foi o artifício utilizado por Deus para manter os hebreus de joelhos, reconhecendo que necessitavam de um Redentor, de um Messias.
→ A Lei fere, o Evangelho cura.

UM NOVO HOMEM
→ ‘’Novo’’ é a tradução de uma palavra grega que se refere a algo completamente diferente do que era antes. Diz respeito a ser diferente em tipo e qualidade. Espiritualmente, uma nova pessoa em Cristo não é mais judia ou gentia, somente cristã.

Não há judeu nem grego, não há escravo nem livre, não há homem nem mulher, porque todos vós sois um em Cristo Jesus. (Gl 3:28)

v.16
RECONCILIASSE AMBOS EM UM SÓ CORPO COM DEUS

→ Como os judeus e os gentios são unidos a Deus por meio de Cristo Jesus, eles são unidos uns aos outros. Isso foi realizado na cruz onde Jesus tornou-se maldito (Gl 3.10-13), tendo suportado a ira de Deus de modo que a justiça divina fosse satisfeita e a reconciliação com Deus se tornasse realidade.

→ Em sua obra ‘’A Cruz de Cristo’’, John Stott define bem o conceito de reconciliação.
‘’Reconciliar significa restaurar um relacionamento, renovar uma amizade. Justificação é a nossa posição legal na presença do Juiz no tribunal; reconciliação é nosso relacionamento pessoal com nosso Pai no lar. É somente quando somos justificados pela fé que temos paz com Deus, a qual é a nossa reconciliação.’’ (Stott, John– A Cruz de Cristo. Editora Vida, p.196-197)

v.17
EVANGELIZOU PAZ
→ A palavra grega traduzida como ‘’evangelizou’’ significa, literalmente, ‘’trazer ou anunciar boas-novas’’, e no NT é quase sempre usada para proclamar as boas-novas de que os pecadores podem se reconciliar com Deus pela salvação, a qual se dá por meio de Jesus Cristo.

v.18
ACESSO AO PAI EM UM ESPÍRITO

→ Nenhum pecador tem qualquer direito ou merecimento nele mesmo para ter acesso a Deus; porém, esse direito foi concedido aos cristãos na morte sacrifical de Cristo. Os recursos da Trindade pertencem aos cristãos no momento em que eles recebem a Cristo, e o Espírito Santo os apresenta diante do trono celestial de Deus, o Pai, onde terão recepção cordial a qualquer momento que se apresentarem com ousadia.

Aproximemo-nos com confiança do trono da graça, para que recebamos misericórdia e encontremos graça, a fim de sermos socorridos no momento oportuno. (Hebreus 4:16)

v.19
SOIS DA FAMÍLIA DE DEUS

→ Os pecadores redimidos não apenas se tornam cidadãos celestiais, mas também membros da própria família de Deus. O Pai concede aos cristãos o mesmo amor infinito dado ao seu Filho.

v.20
FUNDAMENTO DOS APÓSTOLOS E PROFETAS

→ Tanto os apóstolos quanto os profetas foram apenas servos de Deus que transmitiram a revelação divina ao seu povo, ensinando com autoridade a respeito da Palavra de Deus para a igreja antes do término do NT.

PEDRA ANGULAR

→ Essa pedra estabeleceu o fundamento e ajustou a edificação.

v.21
SANTUÁRIO DEDICADO AO SENHOR

→ O dinamismo da casa de Deus reside no fato de que ela ainda está em construção, à medida que pedras vivas continuam a ser acrescentadas e integradas. Paulo mudou a imagem de casa para templo para indicar que o próprio Deus reside nessa nova estrutura de pessoas que estão relacionadas organicamente umas com as outras por meio do Espírito.
→ Todo cristão novo é uma nova pedra no templo de Cristo, a igreja, o corpo de Cristo formado pelos crentes. A edificação da igreja de Cristo não se completará até que cada pessoa que deverá crer nEle o tenha feito (2Pe 3:9).
→ Embora a glória da shekinah, a verdadeira presença de Deus, há muito tempo tenha abandonado o templo de Jerusalém (Ez 10-11), Deus mais uma vez fez a sua morada entre os seres humanos através da sua igreja.

Vós também, como pedras vivas, sois edificados como casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecer sacrifícios espirituais aceitáveis a Deus, por meio de Jesus Cristo.
 (1Pe 2:5)

v.22
HABITAÇÃO DE DEUS NO ESPÍRITO

→ O termo para ‘’habitação’’ indica um lar permanente. Deus, através do Espírito Santo, passa a residir de modo permanente no seu santuário terrestre, a igreja, que é o vasto corpo espiritual formado por todos os redimidos.

Se me amardes, obedecereis aos meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique para sempre convosco, o Espírito da verdade, o qual o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, pois ele habita convosco e estará em vós. (João 14.15-17)

Fontes
● Bíblia de Estudo MacArthur
● Bíblia de Estudo Palavras Chave
● Programa The Word
● Russell Shedd & Dewey Mulholland – Epístolas da Prisão, Editora Vida Nova