Introdução – Efésios


TÍTULO
A carta é endereçada à igreja na cidade de Éfeso, capital da província da Ásia (Asia Menor, atual Turquia). Como o nome Éfeso não é mencionado em todos os manuscritos antigos, alguns estudiosos acreditam que a carta era uma encíclica, escrita com a intenção de que fosse circulada e lida por todas as igrejas da Ásia Menor e que, simplesmente, foi primeiro enviada para os cristãos em Éfeso.

PANO DE FUNDO
→ Essa cidade famosa não era somente um lugar estratégico nos planos missionários de Paulo (durante três anos, foi o seu centro de operações), mas também figura em grande escala no cenário literário do cristianismo primitivo. É tradicionalmente considerado o lugar em que João escreveu as suas contribuições para o NT, e está em primeiro lugar nas sete cartas do Apocalipse. As cartas a Timóteo estão associadas à cidade, e posteriormente Inácio escreveu de Esmirna para a igreja de Éfeso. A cidade era um centro comercial de primeira categoria, equiparável a Alexandria e Antioquia. Era uma metrópole de grande importância em virtude do culto mundialmente famoso a Ártemis, e sua queda se deveu ao assoreamento do rio Caister.
( F.F.Bruce )

→ É provável que o evangelho tenha sido primeiramente levado a Éfeso por Priscila e Áquila, um casal excepcionalmente dotado, o qual foi deixado lá por Paulo durante a sua segunda viagem missionária.
Localizada na foz do rio Cayster, do lado leste do mar Egeu, a cidade de Éfeso era talvez mais bem conhecida pelo seu magnificente templo – dedicado a
Ártemis, ou Diana – uma das setes maravilhas do mundo antigo.
Ela era também um importante centro político, educacional e comercial, equiparado a Alexandria, no Egito, e Antioquia da Pisídia, na Ásia Menor meridional.

A jovem igreja começou com Priscila e Áquila, e foi estabelecida mais tarde, firmemente por Paulo em sua terceira viagem missionária, que a pastoreou por cerca de três anos.
Depois de Paulo ter saído,
Timóteo pastoreou a congregação, possivelmente por um ano e meio, em especial para reagir contra o falso ensino de uns poucos homens influentes (tais como Himeneu e Alexandre), os quais eram, provavelmente, presbíteros nessa congregação.
Por causa desses homens, a igreja em Éfeso estava infestada de ‘’fábulas e genealogias sem fim’’ e de certas ideias ascéticas e em desacordo com a Escritura, como a proibição do casamento e a abstinência de certos alimentos.

Embora esses falsos mestres não compreendessem corretamente a Escritura, eles expunham as suas ímpias interpretações com segurança (1Tm 1:7), as quais promoviam mais ‘’discussões’’ perniciosas ‘’do que o serviço de Deus, na fé’’ (1Tm 1:4).

Depois de 30 anos ou mais, Cristo deu ao apóstolo João a carta para essa igreja, indicando que as pessoas de lá haviam abandonado o seu amor inicial por Ele (Ap 2.1).

TEMAS HISTÓRICOS E TEOLÓGICOS

→ Os três primeiros capítulos são teológicos, enfatizando a doutrina do NT, enquanto os três últimos são práticos e tratam do comportamento cristão.

→ Um tema chave da carta é o mistério (que significa uma verdade não revelada até então) da igreja , de que ‘’os gentios são coerdeiros, membros do mesmo corpo e coparticipantes da sua promessa em Cristo por meio do evangelho’’, uma verdade totalmente escondida dos santos do AT.
Todos os que creem em Jesus Cristo, o Messias, são iguais perante o Senhor como seus filhos e como cidadãos do seu reino eterno, uma verdade maravilhosa que somente os cristãos desta época possuem.

→ A verdade importante enfatizada é a igreja como o atual corpo espiritual e terreno de Cristo, uma verdade também distinta e não revelada anteriormente a respeito do povo de Deus. Essa metáfora retrata a igreja não como uma organização, mas como um organismo vivo composto por partes mutuamente relacionadas e interdependentes. Cristo é o cabeça do corpo e o Espírito Santo a sua força vital, por assim dizer. O corpo funciona por meio do uso fiel dos diversos dons de seus membros, concedidos de maneira soberana e única pelo Espírito Santo a cada cristão.

→ O tema principal desta epístola é o fato de que a igreja (ekklesia, 1577) é o corpo de Cristo (cf. Ef 1.22-23 ; 2.15-16). Também metaforicamente, Paulo falou da igreja como uma edificação da qual Cristo é a principal pedra de esquina (Ef 2.20-22), e comparou a igreja a uma esposa que logo se unirá a Cristo (cf. Ef 5.21-33). A ideia principal é a de que um corpo tem partes individuais que devem operar como uma unidade. O plano de Deus é unir todos os crentes (Ef 1:10), tendo Cristo como cabeça (Ef 1.22-23).

____________________________________________________
PALAVRA CHAVE → ekklesia (1577)
I) Referindo-se a pessoas legalmente chamadas para fora ou convocadas (cf. At 19:39 – referindo se ao povo); e, portanto, referindo-se também a uma assembleia tumultuosa não necessariamente legal (cf. At 19.32-41). No sentindo judeu: uma congregação, uma assembleia do povo para fins de adoração, por exemplo, em uma sinagoga (cf. Mt 18:17).

Além disso, se demandais alguma outra coisa, isso será resolvido numa assembleia legal. (At 19:39)
Se ele se recusar a ouvi-las, dize-o à igreja; e, se também se recusar a ouvir a igreja, considera-o gentio e publicano. (Mt 18:17)

II) No sentido cristão: uma assembleia de cristãos (cf. 1Co 11:18, uma igreja, a igreja cristã)
Porque, em primeiro lugar, ouço dizer que há divisões entre vós quando vos reunis como igreja; e em parte acredito nisso. (1Co 11:18)
___________________________________________________________

 Auxílios
→ Russell Shedd – Epístolas da Prisão, Editora Vida Nova
→ Bíblia de Estudo John MacArthur
→ Bíblia de Estudo Genebra
→ Programa The Wor